segunda-feira, 1 de novembro de 2004

O Infinito (ou A Fadiga do Oito)

Uma corda vibrando! Essa mesma corda cortada pela metade: vibrando com o dobro da freqüência, com a metade da massa, metade do volume (Não não!! Ela é unidimensional! Esta minha corda é unidimensional! Porque eu quero, pô!), produzindo uma oitava acima da anterior e com uma energia maior. A mesma corda cortada pela metade da metade da metade ..............(n termos)..........d mtd. A corda mínima, unidimensional, quântica. Seu comprimento é a unidade quântica de comprimento. Sua massa é a unidade quântica de massa. Sua energia é infinxxxxxxxxxxxxxx indeterminaxxxxxxxxx grande. Muito grande. Seu período de vibração é a unidade quântica de tempo. Vamos chamá-la de cordinha.

Cordinha cordinha cordinha cordinha eu simplesmente gosto de dizer cordinha.

Trilhões de bilhões de quinquilhões de quatrilhões de milhares de cordinhas. Juntas. Juntinhas num espaço unidimensional. As cordinhas não tem volume. Mas tem massa. Muitas cordinhas, densidade, ro, pi, ômega, teta, massa, energia, cabeludo numa bicicleta, me faça alguma pergunta. CABÓIUN explosão grande bum bum. Universo; só mais um tomate na plantação de tomates, todos são verdes. Tomates verdes e translúcidos. Explodindo! Implodindo! Vida no meio disso! Explodindo! Química! Implodindo! Química! Explodindo! Filosofia! Implodindo! Conhecimento! Explodindo! Admiração! Implodindo! ou apenas impulsos elétricos! Explodindo! Pulso! Implodindo! Chorando; amando! Por que eu vou votar em alguém que vai fazer o bem para os pobres? IMPLODA!!!

Afinal, onde se encontram as retas parelelas. Onde se encontram essas retas inincontráveis? No infinito? ‘Tá.

Exato! Seu idiota! A sua mente foi empobrecida pela radiação beta da sociedade burra! Sinto. Muito.

Infinito dividido por infinito é igual a um. Infinito dividido por um é igual a infinito. Infinito dividido por dois é igual a infinito. Infinito dividido por abre parêntesis infinito dividido por dois fecha parêntesis é igual a duas vezes infinito dividido por infinito, que, se infinito dividido por infinito é igual a um, é igual a dois mas, se infinito dividido por dois é igual a infinito e infinito dividido por infinito é igual a um, é igual a um.

E com fúria eu

É o seguinte: a impressionante quantidade de cordas naquele espaço levou à grande exposão. O recipiente transbordou e um universo surgiu.

No maravilhoso país dos números! Fundado em tralálá pelo primeiro inteiro positivo (que por influência do sinal de adição formou os seus outros companheiros). Desde sua fundação, várias guerras civis e richas levaram, por exemplo, a sistemas não decimais. Pois houve um tempo em que, o 1, o 2, o 3, o 4, o 5, o 6, o 7, o 8, e o 9, após se combinar formando números maiores verificaram perplexos a impossibilidade de o 11 ser tão maior que 9 quanto o 9 é maior que o 8. Isso ocorreu poucos anos após a expulsão do 8 errado, que por algum problema desconhecido nascera dividido pela metade. Enquanto todo o país estava em crise pela incompreensibilidade à qual se deparava, eis que o 8 errado volta, desta vez totalmente dividido e diz a célebre frase: “Aqui estamos, pelo bem dos que nos temem.”. Então, totalmente separados, formam os zeros. Um à esquerda e outro à direita. Agora há muitos zeros. O zero se tornou o grande número, pergunte a todos qual é o seu número preferido e dirão que é o zero. Agora o 8, sempre que vê o zero num denominador, deita. Talvez pelo reconhecimento de sua genialidade ao se pôr a um denominador, talvez e muito provavelmente pela fadiga por ter sido o progenitor do que levou tantas mudanças ao país dos números. Quando deitado, então, o oito é o infinito.

Mas chega. Falta sabimento. Eu não sei. Eu não sei! Compreenda!

Não existe o infinitesimal, apenas o indeterminadamente pequeno ou o absurdamente determinadamente pequeno. Chega um ponto em que nada é divisível. E então eu pergunto

E quando nada se divide por nada?

CABÒIN.

Nenhum comentário:

Postar um comentário