domingo, 12 de março de 2006

Serenidade

Nas noites de Domigo,
a Metrópole silencia
e a sua fragilidade
se sente, se cheira.

Eu cá por mim
em muito me assemelho
à frágil cidade:
Nas noites de domingo,
sozinho, comigo mesmo,
fico quieto e me percebo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário