sábado, 29 de novembro de 2008

Hérnia 2

Quando eu não sabia que isso era uma hérnia e tive uma crise nas costas, tive um dia assim:

Me perdi entre comprar ingressos pro cinema e ir dar uma aula particular de história. E a dor foi começando.
Cheguei na faculdade com uma dor já grande e fiquei tentando relaxar e alongar. Nisso, encontrei um amigo, ao qual pedi que me abraçasse. As costas não estalaram e eu fiquei mal de vez. Recebi uma aspirina de uma caridosa transeunte na praça dos bancos.
Continuei tentando alongar e quase chorava de dor. O cinema daquela noite estava começando a mergulhar na lama. E de fato.
Busquei minha companhia, agradabilíssima, e assistimos ao filme português Veneno Cura. A existência desse filme é completamente desnecessária. Uma droga. E a maldita dor atingindo níveis terríveis.
Mas apesar de tudo eu estava feliz, afinal.
Foi quando a companhia foi-se embora e eu me vi sozinho, foi quando deitei na minha cama com uma dor infinita, que chorei pra caralho por não ter pra quem pedir ajuda.
É foda.

Agora já passou.

E reitero que se isso for dar do nada, eu prefiro jogar bola antes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário