quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Belluzzo presidente

Sempre fiz questão de me colocar politicamente, ainda que procurando conter minhas paixões, e duvidando de quase tudo.
E preferi ter claro o que não queria, para não me prender em um querer absoluto.

Pois bem, hoje entro de cabeça em campanha digital por uma candidatura, que está sendo divulgada por vários blogs e comunidades online, principalmente os da chamada "Mídia Palestrina".

Corro o risco de desagradar a alguns por 1) insistir no assunto futebol e, mais especificamente, no meu precioso Verde, 2) apoiar um candidato que pouco ou nada fará pela mudança do status quo da economia capitalista e os esquemas de produção e distribuição da propriedade.

Mas afirmo estar fazendo política na sua mais pura forma. Defender a candidatura de Belluzzo para a presidência do Palmeiras vai muito além da simples escolha do administrador de um clube paulistano: é, sim, a própria possibilidade de escolher e influenciar os rumos do Palmeiras, muito mais que um clube (que é o menos importante), o símbolo totêmico que organiza grande parte de minhas ações e dá sentido  às coisas do mundo. É, no limite, o profundo engajamento, que aponta para o desejo de modificações mais profundas na sociedade. Se minha vida é pensada a partir da linguagem do velho jogo de bola e minha identidade é alviverde, é defendendo Belluzzo que experimento a política em sua dimensão sensível. Criamos mitos e nos fortaleceremos neles.

Vai aqui, portanto, um apelo que poucos lerão, mas muitos concordarão.

3 comentários:

  1. Ah, meu caro!
    Então leia, se ainda não o fez, "Veneno Remédio - O Futebol e o Brasil" de José Miguel Wisnik!
    Obrigação senão aos amantes do futebol, aos que gostam de pensar o nosso país!
    Fundamental!

    ResponderExcluir
  2. Eu também apóio! É impressionante a campanha por Belluzo na rede!

    Viva o verde!

    ResponderExcluir
  3. ok demorei mais vou comentar hehe

    mais uma vez absurdo!! a-b-s-u-r-d-o Yuri.... ñ falar em futebol... vá lá, já estamos acostumados a ouvir vc falando do verdão, já estou acostumada a ouvir vc falando pra eu entrar na savóia sendo q nem d futebol eu gosto. mas agora dizer q o futebol é "um símbolo totêmico que organiza grande parte de minhas ações e dá sentido às coisas do mundo", "profundo engajamento, que aponta para o desejo de modificações mais profundas na sociedade"
    meus deuses, alguém avisaaaaa òÔ
    Poderia até ser "política em sua dimensão sensível", mas na Argentina né e não aqui. =P

    ResponderExcluir