quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Constância

A criação deste blog veio em um momento muito específico. Com o intuito de realizar uma mudança pessoal, quer dizer, uma renovação, tinha me desligado do orkut e do meu blog de Rabiscos. Ainda passei a conversar menos com os amigos e cheguei a jejuar em alguns dias.
A retomada de um blog como este vem com uma perspectiva de superação de velhos vícios. Recupero dores e amores antigos e pretendo revisitá-los pra ver se os dou outros significados e outras decorrências na minha vida. No entanto, de alguma forma, a retomada de textos antigos me faz refletir e perceber uma perturbadora recorrência de sentimentos, e em geral, sentimentos preocupantes.

Assim, a abertura deste blog e a retomada de grande parte da minha vida traz PERTURBAÇÃO por uma constância e PREOCUPAÇÃO porque a constância diz respeito às minhas dores e meus amores, aquilo que eu pretendia resolver ou modificar com o processo de mudança.

E agora estou numa encruzilhada: aprendo a lidar com o que é constante ou explodo os lugares comuns?

Um comentário:

  1. Tentei eu também um processo parecido, de parar de escrever, mudar um pouco de vida, alterar meu modo de ser. No meu caso era necessário conviver muito mais com outras pessoas, fazer novos amigos. Mas no meu caso também passei meses inteiros refletindo muito e cheguei a algumas conclusões, que depois levaram a algumas mudanças, e as recorrências se tornaram claramente menores.

    Talvez seja o caso de descobrir de onde vem a constância. Ou: se você não tivesse essa constância, não deixaria de ser você?

    De modo geral, sou a favor da explosão dos lugares comuns.

    ResponderExcluir