segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Orkut

Como registro, a descrição do meu orkut em tempos de marginalidade.

O pároco mediu-o com um olhar de pena.
- Ai, filho - suspirou. - Para mim bastaria estar certo de que você e eu existimos neste momento.

***

Por um tempo, estarei mudando.

E quem é que sabe como voltaremos?

A primeira parte é um trecho de um diálogo de Cem Anos de Solidão.

E alguém sabe como voltei? Eu não.

Um comentário: