quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

OSUSP

Publico aqui carta aberta dos músicos da OSUSP que se colocam contra o processo de escolha de seu novo diretor artístico e maestro titular. O Movimento Estudantil nem olha pra isso, apesar de estar dentro do conjunto de medidas tomadas antidemocráticas que vimos sendo tomadas nos últimos anos. Vai ver é porque orquestra é coisa de burguês, eu hein!

Carta aberta dos músicos da ORQUESTRA SINFONICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ao público e a toda a classe musical 
     Nós, músicos da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, vimos através desta carta externar a nossa preocupação e imensa insatisfação para com os caminhos que vêm sendo tomados para o preenchimento da vaga de diretor artístico e maestro titular, cargo vago desde a saída do maestro Carlos Moreno em agosto do corrente ano.
     Nossa preocupação está focada na manutenção do alto nível artístico dos concertos apresentados, na fundamental função social, educativa e artística de nossa programação no meio cultural brasileiro e no indissolúvel comprometimento com a arte, o público e o processo democrático de gestão deste bem público que é a OSUSP.
     O funcionamento da OSUSP, como as demais entidades e corpos públicos, é norteado por seu regimento interno, dentro dos critérios democráticos característicos da Universidade de São Paulo. Seu texto foi redigido com o assessoramento do então chefe do departamento de música professor Dr. Mario Ficarelli, posteriormente foi discutido por membros do Conselho deliberativo da OSUSP formado por membros da comunidade universitária (docentes do departamento de música, representantes do corpo discente, membros da orquestra e da Pró- reitoria) e membros da sociedade com notório e indiscutível destaque e valor na área cultural. Foi aprovado pelo departamento jurídico da USP e deliberado pelo Conselho de Cultura e Extensão Universitária com publicação no diário oficial em 13 de Agosto de 2001. Este regimento sofreu modificações discutidas pelo conselho deliberativo da orquestra e foi novamente publicado em 12 de Janeiro de 2006 em resolução do CoCEx no. 5295.
     Nele consta como prerrogativa inequívoca da orquestra o direito de participar da redação do seu regimento e de todos os processos decisivos referentes à escolha do seu diretor artístico e regente titular.
     O processo definido pelo regimento para o preenchimento do cargo de maestro titular e diretor artístico da orquestra é:
     -os candidatos ao cargo enviam à Universidade seus projetos de gestão artística e administrativa da orquestra,
     -os músicos avaliam os projetos enviados,
      -o Pró-reitor de Cultura convoca os músicos para a elaboração de uma lista tríplice a qual é feita a partir desta prévia avaliação,
      - A lista tríplice é então enviada ao conselho deliberativo da orquestra e este conselho escolhe entre os três, o nome do regente titular e diretor artístico.
     No entanto, após três meses aguardando a convocação oficial da Pró-reitoria de Cultura e extensão universitária para a elaboração da listra tríplice, fomos informados pelo Pró-reitor em visita a um ensaio da orquestra, de que o regimento será modificado à nossa revelia. Segundo ele, o sistema democrático de escolha do nosso regente titular e diretor artístico será banido do regimento e um cargo de confiança para a direção geral (artística e administrativa) da OSUSP será criado e preenchido através de indicação sumária do Pró-reitor.
     Com esta carta, manifestamos o nosso repúdio a essas medidas, que acintosamente desprezam os mais básicos princípios democráticos, estes tão visceralmente ligados à essência da USP, entidade que em nossa história recente se destacou como um dos pilares para a dura conquista da redemocratização do país, assim como não contemplam a confiança, a dignidade e a maturidade que a orquestra conquistou durante seus 33 anos de existência.
      Desculpamo-nos junto ao nosso público e pedimos sua compreensão.
     Muitos obstáculos têm sido encontrados por nós nas tentativas de comunicação com a Pró-reitora e as decisões sobre o futuro imediato da orquestra com relação à programação infelizmente não têm sido tratadas com o nosso conselho deliberativo, tão pouco conosco. Sentimos muito, pois, cativamos um público caloroso e fiel, obtendo mais de 600 assinaturas, e nos consideramos responsáveis pela retribuição desta fidelidade.
     Aproveitamos para pedir o apoio de toda a classe musical e artística e de nosso público para que diante aos fatos expostos se manifestem a nosso favor. Desejamos a manutenção do processo democrático de escolha do nosso maestro e diretor artístico através da lista tríplice, garantindo a qualidade de excelência da orquestra e evitando-se desta maneira a imposição arbitrária e a aparente tentativa de favorecimento que configuram um retrocesso desastroso não só para a orquestra, mas para toda a Universidade e a sociedade como um todo.
     Estamos certos de que o processo democrático é de fundamental importância para a garantia da qualidade do nosso trabalho, assim como para a nossa saúde profissional dentro da Universidade e ressaltamos que é essencial que o profissional que ocupe um cargo de direção dentro da nossa orquestra seja acolhido por nós pelo reconhecimento de suas capacidades e de seus talentos.
     Norteados pela intenção de manter as nossas conquistas e pela sede de vencer novos desafios, agradecemos e contamos com o seu apoio.
     Músicos da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo
     E-mail para manifestações: osusp.amigos@gmail.com

2 comentários:

  1. linda. espero que seja respondida.

    ResponderExcluir
  2. A carta resposta do pró Reitor está aqui.

    http://www.vivamusica.com.br/noticia.php?id=948

    ResponderExcluir