quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Passagem

Mais uma noite sem dormir.

É nosso ritual - doloroso! - de purificação.


Vocês se lembram daquele momento, talvez o mais perigoso, o mais delicado de nossa vida. O momento em que surgimos e nos erguemos imponentes. Era 1942: morria o Palestra, tomado por oportunistas como símbolo da nação inimiga. Morria o brasileiríssimo Palestra, líder, sempre líder. De cinzas esverdeadas que nem chegaram a cair, formou-se o Palmeiras. Em um único jogo, a redenção. Nascemos e renascemos campeões. Somos o Palestra Itália, somos o Palmeiras. Morremos líderes para nascermos campeões.

Essa é nossa sina.

Estamos morrendo, perdemos hoje, perdemos domingo. Não é fácil, nunca será, toda morte é dolorosa.
Estamos morrendo líderes.

Estamos morrendo líderes e no fundo sabemos, sempre soubemos, o que virá.

Um comentário:

  1. "Estamos morrendo líderes e no fundo sabemos, sempre soubemos, o que virá."

    Não pude evitar um sorriso esperançoso ao ler essa frase!
    Mas sei que ela tem significados completamente diferentes para nós dois!

    Saudades de você, amigo verde!

    abração

    ResponderExcluir